03/11/20 - Caixa d’água garante o fornecimento durante manutenção nas redes



Caesb reforça a importância da instalação do equipamento nos imóveis

 

A água que sai das Estações de Tratamento e Bombeamento percorre uma longa distância até chegar à casa dos usuários. Para que tudo funcione perfeitamente, é necessário realizar manutenção neste caminho constantemente. Hoje, a rede de abastecimento de água da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) tem uma extensão de 9,3 mil quilômetros. Por isso, o fornecimento pode ser interrompido momentaneamente para garantir a segurança do sistema e dos trabalhadores. Quem não tem caixa d’água no imóvel, pode ficar sem abastecimento por até 24 horas.

O coordenador de Manutenção de Redes de Água Oeste da Caesb, Valdir Jose Viana, reforça a importância de instalação de caixa d’água nas residências, nos comércios e nas indústrias em geral. “Por lei, toda unidade usuária deve contar com reservação de volume mínimo correspondente ao consumo médio diário. A caixa d’água é uma reserva essencial, que garante o abastecimento do imóvel em ocasiões que o abastecimento é suspenso devido a serviços de manutenção corretiva (quando há rompimento de rede), manutenções preventivas (intervenções executadas para evitar a ocorrência de possíveis problemas) ou melhoria do sistema distribuidor água (execução de obras para expansão de redes, interligações e/ou instalações de equipamentos e válvulas de controle do sistema)”, explica o coordenador. A Caesb se dedica para que todos esses serviços sejam feitos da forma mais rápida possível para minimizar a suspensão do fornecimento de água.

Valdir Viana explica que “além da proposta de reserva de água que a caixa d’água possibilita, ela contribui para a estabilidade do sistema distribuidor, possibilitando um melhor controle de pressão das redes de distribuição por meio de válvula redutora de pressão. Nos horários de pico de consumo, os clientes vão usar inicialmente o volume armazenado nas caixas d’água. A reposição desse volume ocorrerá de forma gradativa”, afirma.

Para a aquisição de uma caixa d’água adequada ao imóvel, os usuários podem se orientar na hora da compra seguindo uma conta simples. Em média, cada pessoa consome 100 litros de água por dia. Logo, sabendo quantas pessoas há no imóvel, é só multiplicar por 100 litros. Por exemplo, um reservatório de 500 litros é suficiente para abastecer uma família de cinco pessoas num período de 24 horas.

A Companhia informa, ainda, que toda unidade usuária deve contar com reserva de volume mínimo correspondente ao consumo médio diário, de acordo com o artigo 50 da Resolução nº 14 da Adasa, de 27 de outubro de 2011, que estabelece as condições da prestação e utilização dos serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário no Distrito Federal. A resolução da Adasa reforça ainda que o usuário é responsável pela limpeza e desinfecção da instalação predial de água e do reservatório predial antes da ligação definitiva de água e, posteriormente, pela limpeza e desinfecção semestral do reservatório.

Limpeza da caixa d’água
A limpeza da caixa d'água dos imóveis é essencial para garantir um ambiente adequado e livre de bactérias para reservar água. A contaminação da água põe em risco a saúde e pode provocar vários tipos de doenças. O período ideal para a realização desse serviço é na chegada do frio, onde há queda das temperaturas e observa-se uma redução no consumo. O ideal é realizar a limpeza e higienização do reservatório domiciliar a cada seis meses.

A limpeza é bem simples e não precisa ser feita por empresa especializada. Confira as dicas da Caesb de como manter a caixa d´água sempre limpa e bem tampada. Os materiais básicos para se fazer a limpeza da caixa d’água são: balde, pá de plástico, vassoura, panos limpos, água sanitária, luvas, botas de borracha e óculos de proteção.

 

  • Primeiro, feche o registro de entrada da caixa d’água ou bloqueie a boia, utilizando uma corda pequena ou fita adesiva;
  • Esvazie a caixa d’água utilizando a água no consumo diário;
  • Tampe a saída da água, localizada no fundo da caixa, utilizando um pano, para que a água utilizada na limpeza não escoe para dentro da tubulação;
  • Execute a limpeza das paredes e do fundo da caixa d’água, utilizando vassoura ou esfregando com uma bucha de pano;
  • Esgote toda a água utilizada na limpeza e, em seguida, seque a caixa;
  • Dilua um litro de água sanitária em 5 (cinco) litros de água, para cada 1000 (mil) litros de capacidade da caixa d’água;
  • Aguarde aproximadamente 30 minutos para concluir a limpeza enxaguando a caixa com água limpa e, em seguida, retirando a água utilizada na limpeza final;
  • Finalize abrindo o registro de entrada ou liberando a boia para a caixa encher normalmente;
  • Recoloque a tampa, verificando uma adequada fixação, evitando a entrada de sujeiras e insetos;
  • Anote em etiqueta adesiva a data de execução da limpeza da caixa e fixe na parte externa.
  • Recomenda-se a limpeza da caixa d’água a cada seis meses, garantindo a potabilidade da água fornecida pela Caesb.
     

Algumas dicas na manutenção da sua caixa d’água

 

- Tampe bem a sua caixa de água: Por questão de saúde pública, as caixas de água devem estar bem tampadas para que não haja surto de dengue. No verão, o mosquito da dengue procura água limpa e parada para se reproduzir.

- O que fazer se a tampa for danificada: A tampa das caixas é essencial para garantir a qualidade da água, especialmente para que ela não se misture com a chuva. Caso a peça original quebre ou trinque, é possível comprar apenas a tampa em lojas de material de construção.

- Como comprar outra tampa: Na hora de comprar uma tampa para a sua caixa de água, meça a largura dela, e, de preferência, compre da mesma marca da caixa de água original. Assim, ela encaixará melhor e a sua água não correrá risco de ser contaminada por animais, insetos ou pela água da chuva, que muitas vezes parece limpa, mas pode conter poluentes (chamada de chuva ácida).