Informe Educativo - Saiba como descobrir e evitar vazamentos de água

Quando sua conta mostra alto consumo de água e você não consegue explicar, esteja certo: alguma coisa está vazando. Mas você pode aprender a descobrir e evitar vazamento, que trazem sérios prejuízos e, ainda, podem comprometer todo o trabalho da Caesb para garantir o abastecimento de água.
 

Teste nº 1

Mostradores de hidrômetros com disco ou estrela central (Onde não há caixa d´água)

  1. Deixar aberto o registro do hidrômetro
  2. Fechar bem todas as torneiras e não dê descargas em vasos sanitários.
  3. Observar se o disco ou estrela central está girando. Se a resposta for SIM é porque tem vazamento.

Se o hidrômetro estiver com vazamento, ligue para a Caesb: Fone 115.
 

Teste nº 2

Vazamento na instalação abastecida pela caixa

  1. Prender a bóia para que não entre água na caixa ou feche o registro da tubulação que alimenta.
  2. Fechar bem todas as torneiras e não dê descargas em vasos sanitários (nenhuma água deve ser gasta durante o teste)
  3. Faça uma marca exatamente na altura do nível da água existente na caixa.
  4. Esperar uma hora ou um pouco mais e torne a verificar o nível da água. Ele baixou? Se a resposta for SIM, é porque está havendo vazamento na caixa.


Teste nº 3

Vazamento pelo ladrão ou extravazamento em caixa d´água

  1. Deixar aberto o registro do hidrômetro
  2. Fechar todos os registro de saída d´água da caixa
  3. Deixar a caixa encher até a bóia, feche completamente e verifique se está existindo escoamento de água pelo ladrão ou extravazamento.

Balanço de atividades 2019 - Trinta mil novas ligações de água e esgoto

Companhia investiu R$ 186 milhões em obras, melhorias nos sistemas, automação e modernização dos processos e unidades operacionais

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) fecha 2019 com bons resultados. Depois de dois anos difíceis, decorrentes da crise hídrica que levou ao racionamento em 2017 e 2018, a empresa fez obras e melhorias nos sistemas de água e esgotamento sanitário, equipou laboratórios e modernizou unidades operacionais. Os indicadores econômicos mostram que a Companhia recuperou a capacidade de investimento, equilibrou as finanças e reduziu as despesas com pessoal.

Neste ano do cinquentenário da Caesb, houve incremento de 30 mil ligações de água e esgoto no DF: 12.195 de água e 16.922 de esgoto. Atualmente, são 686.512 ligações de água e 586.039 de esgoto na área de cobertura da Caesb. Isso significa que 99% da população do DF é atendida com água encanada e 89,28% têm coleta de esgoto, 100% tratado.

Tais índices colocam a Caesb em nível de atendimento excelente, segundo avaliação de Desempenho da Prestação dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do DF, publicada anualmente pela Adasa.

Área de cobertura da Caesb

686.512 ligações de água

586.039 ligações de esgoto

99% da população do DF é atendida com água encanada

89,28% da população do DF é atendida com coleta de esgoto, 100% tratado


A Caesb investe em estrutura gigante, que, em 2019, cresceu 500 km. São 9.256 km de extensão de rede de água e 7.234 km de rede de esgoto; 15 estações de tratamento de esgoto e 12 estações de tratamento de água. Os investimentos em infraestrutura somaram R$ 186 milhões até setembro. Desses, R$ 101 milhões foram para o sistema de água, R$ 64 milhões para o esgotamento sanitário e R$ 21 milhões para aquisição de equipamentos, bens e instalações. A maior parte tem conclusão prevista para 2020.
 

Investimentos da Caesb

R$ 186 milhões até setembro

R$ 101 milhões para o sistema de água

R$ 64 milhões para o esgotamento sanitário

R$ 21 milhões para aquisição de equipamentos, bens e instalações


Entre as obras, destacam-se o Sistema Produtor de Água do Corumbá, cuja parte física deve ser concluída em dezembro; o Sistema de Abastecimento de Água do Paranoá; o Sistema de Esgotamento Sanitário do Sol Nascente, Pôr do Sol, Park Way, IAPI, Bernardo Sayão, Setor de Mansões de Sobradinho, além dos condomínios Entre Lagos, Novo Horizonte e La Font. Quando concluídas, essas obras beneficiarão 195 mil pessoas, além da população de 3 milhões de habitantes do DF e do Entorno que serão atendidas com o Sistema Corumbá.

“A Caesb tem feito um grande esforço para manter em excelentes condições sua estrutura e adequá-la ao crescimento da população. Nossa missão é ser referência em saneamento, respeitando o meio ambiente e proporcionando saúde à população do DF”, resume o presidente da Caesb, Daniel Rossiter.


Tecnologia e modernização

Em 2019, a Caesb iniciou a implantação de projetos de telemetria, que permite a leitura dos hidrômetros e transmissão dos dados de forma automatizada, usando a rede de telefonia celular. Com financiamento de R$ 2,5 milhões do BID, investiu em dois projetos. Um deles já está em funcionamento, em fase experimental, no Jardins Mangueiral com 424 ligações de água. O outro vai atender todos os clientes do Lago Norte. Serão quase 6 mil usuários beneficiados com a tecnologia. Foram selecionados 1.400 clientes com grande consumo de água, como shoppings, órgãos públicos, condomínios residenciais, para receberem o sistema de telemetria.


A Caesb investe na estrutura, que, em 2019, cresceu 500 km. São 9.256 km de extensão de rede de água e 7.234 km de rede de esgoto. Foto: Renato Araújo (Agência Brasília)

E foram investidos R$ 3 milhões, com recursos do BID, para modernizar o laboratório que monitora a qualidade da água dos mananciais superficiais e subterrâneos utilizados para abastecimento público. Os aparelhos possibilitam pesquisas de fósforo e de cal na água.

Em outubro, foi concluída a obra das Oficinas Caesb, um complexo de manutenção industrial de 3.330 m², um dos maiores e mais bem equipados parques industriais do Centro-Oeste. As oficinas darão suporte à área de manutenção, que fica 24 horas de sobreaviso para atuar em qualquer problema nas redes de água e esgoto. Só ações de desobstrução de esgoto, foram 36.310 neste ano.


A empresa ampliou o horário dos escritórios de Ceilândia, Guará, Núcleo Bandeirante, Taguatinga e Sobradinho, que atualmente funcionam em horário integral, das 8h às 18h. Foto: Renato Araújo (Agência Brasília)

Comunidade e meio ambiente

Com o Expresso Ambiental, ônibus-maquete de 6 metros, percorreu escolas públicas, eventos e feiras ensinando às crianças o ciclo do saneamento. Por meio do Projeto Golfinho, atendeu 415 crianças em situação de vulnerabilidade social, no contraturno escolar.

Com a Gerência de Mobilização de Água, forneceu água para 1.158 eventos abertos ao público. A Caesb hidratou um público estimado em 3 milhões de pessoas com copinhos, unidades móveis e caixas d’água fixas.

A empresa ampliou o horário de funcionamento dos escritórios de Ceilândia, Guará, Núcleo Bandeirante, Taguatinga e Sobradinho, que atualmente funcionam em horário integral, das 8h às 18h.

As demais cidades atendem ao público das 11h às 17h. Foram criados canais de atendimento pelo WhatsApp para a população de Samambaia, Planaltina e Ceilândia.

São muitas as conquistas nesse meio século de história. Cheguei à presidência no ano em que a Caesb completa 50 anos e renova seu compromisso com a população do DF em continuar fornecendo a melhor água do Brasil e tratando 100% dos esgotos, evitando a poluição dos nossos mananciais. Daniel Rossiter, presidente da Caesb





 

Depoimento de Daniel Rossiter, presidente da Caesb

“Entrei na Caesb com a missão de mantê-la como referência em saneamento ambiental no Brasil. Confesso que me surpreendi com o tamanho, a estrutura, a complexidade dos serviços prestados pela Companhia. E com a competência do corpo técnico, que mostra, dia a dia, porque a Caesb chegou e permaneceu no topo. Com frequência, recebemos visitas de especialistas, estudantes, delegações estrangeiras para repassar nossa expertise e trocar informações. Nos tornamos referência em Sistema Condominial de Esgotos e na experiência com Membranas de Ultrafiltração. Somos pioneiros, com dois projetos recém-lançados, na medição do consumo usando telemetria em larga escala. Temos índices que superam a média brasileira, na área de cobertura com água e esgoto, na qualidade do tratamento de ambos e na continuidade do abastecimento. São muitas as conquistas nesse meio século de história. Cheguei à presidência no ano em que a Caesb completa 50 anos e renova seu compromisso com a população do DF em continuar fornecendo a melhor água do Brasil e tratando 100% dos esgotos, evitando a poluição dos nossos mananciais. Entregar saúde, respeitando o meio ambiente, é também hoje minha maior ambição.”

18/12/19 - Caesb leva atendimento via aplicativo WhatsApp para Sobradinho

Moradores da Região Administrativa passaram a usar o serviço que começou neste mês 

 

A Caesb beneficia mais uma cidade do Distrito Federal com atendimento via WhatsApp. Desta vez, o local escolhido foi Sobradinho. O número é (61) 98480-5115.

O serviço foi lançado no dia 1º de outubro deste ano nas cidades de Samambaia e Planaltina, como parte da política da Companhia de oferecer aos clientes um serviço de excelência. Em novembro, o atendimento foi estendido para a Ceilândia.

O Escritório de Sobradinho atende as cidades de Sobradinho e Sobradinho II, incluindo Fercal e Grande Colorado, e possui 38.300 ligações ativas de água e 23.292 ligações de esgoto.

Os serviços mais solicitados nesta RA são conserto de cavalete, recomposição de calçada pela manutenção, construção de ramal, verificação de falta d’água no imóvel, vistoria de remanejamento, alteração de dados cadastrais, revisão de contas, corte e lacre de hidrômetros.

Desde a implantação do atendimento via WhatsApp em outubro até o dia 17 dezembro, 730 usuários já haviam utilizado o aplicativo para solicitar serviços, sendo que muitos deles tiveram mais de um tipo de demanda. No total, foram recebidas 6.295 mensagens.

Os serviços mais solicitados por esse canal de atendimento ao cliente foram desobstrução de rede de esgoto, alteração de titularidade, informações sobre parcelamento, religação, solicitação de vistorias comerciais e de manutenção, e segunda via de contas.

O gerente substituto de Procedimentos, Controle e Informações Comerciais da Caesb, Tiago Portes, explica que a população está ficando cada vez mais familiarizada com o uso do WhatsApp para a demanda de serviços na Caesb. “O número de solicitações cresceu muito e nossa expectativa é de que continue aumentando, uma vez que o cliente economiza tempo utilizando esse tipo de canal de atendimento”, conclui.


 

Melhorias no 115: nova plataforma agiliza o atendimento aos clientes da Caesb

Como parte da política da Caesb de oferecer aos clientes um serviço de excelência, a Companhia está migrando a plataforma telefônica da Central 115. A nova solução irá modernizar o atendimento, com a integração de multicanais. Em caso de instabilidade durante a transição para o novo sistema, a Caesb orienta a utilização dos seguintes canais:

(*) Recebimento de demandas 24h (chat ou e-mail). Porém, o funcionamento do chat e as respostas acontecem somente nos dias úteis, das 8h às 18h.

 

06/01/20 - Caesb é parceira em pesquisa sobre o consumo de drogas ilícitas

DF foi a primeira unidade da federação a participar de estudo

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) é parte integrante do estudo a ser desenvolvido pela Universidade de Brasília e Polícias Federal e Civil do DF, em parceria com o Ministério da Cidadania e do Instituto Nacional de Ciências e Tecnologias Analíticas Avançadas (INCTAA), numa pesquisa sobre o consumo de drogas ilícitas no País.  No estudo serão analisadas amostras de esgotos coletadas em seis cidades brasileiras. O Distrito Federal é pioneiro na participação deste tipo pesquisa uma vez que a Caesb já tem colaborado em estudos dessa natureza nos últimos 10 anos.

Além do DF, as cinco cidades escolhidas para o estudo inicial são Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), São Carlos (SP), Campinas (SP) e Natal (RN). Além do apoio institucional, dois empregados da Caesb também fazem parte da equipe de pesquisadores envolvidos com o projeto. A pesquisa tem como objetivo identificar as substâncias secretadas pelo organismo de usuários de drogas, uma vez que as drogas, depois de metabolizadas, são excretadas pela urina, chegando ao esgoto. As informações produzidas pela análise de esgotos buscam complementar os dados gerados pelos métodos tradicionais usados para se estimar a evolução do consumo de drogas.

Para o professor do Instituto de Química da Universidade de Brasília (UnB), Fernando Fabriz Sodré, um dos responsáveis pelo estudo, a participação da Caesb sempre foi essencial ao desenvolvimento e consolidação desta linha de pesquisa nos últimos dez anos, já que a primeira etapa para a obtenção dos resultados envolve a amostragem representativa do esgoto que chega nas estações de tratamento. A amostragem deve ser realizada de maneira composta, o que só é possível com amostradores automáticos refrigerados disponibilizados pela Caesb.

“A partir do ano que vem, conseguiremos expandir esta linha de pesquisa para outras regiões do país e, nesta nova etapa, a Caesb continuará sendo importante, não apenas para manutenção das amostragens periódicas, mas também para se colocar como uma empresa de referência em termos de pesquisa frente às outras companhias de saneamento que poderão participar do projeto”, exalta Fernando.

O professor explica que um diferencial importante da pesquisa é que são medidas substâncias oriundas do pós-consumo das drogas, o que oferece a possibilidade de uma investigação a curto prazo, com dados produzidos em tempo quase real. “Hoje conseguimos, por exemplo, observar a variação de consumo durante vários dias consecutivos, identificando a influência de finais de semana, de eventos sociais e de feriados nacionais sobre o consumo de drogas”, explica.

Para o diretor de Operação e Manutenção da Caesb, Carlos Eduardo Borges, essas parcerias refletem o interesse da Companhia no apoio e na cooperação com outros órgãos do Governo, local e federal, para o enfrentamento de problemas relacionados ao uso de drogas ilícitas. “A Caesb incentiva a inovação e o uso de novas tecnologias para a identificação dos componentes dos esgotos domésticos, uma vez que vários cursos d’água, além de receptores de esgotos, tornaram-se mananciais de abastecimento de água”, defende Carlos Eduardo.


ESTUDOS ANTERIORES

Em 2012, uma cooperação entre o Instituto Nacional de Criminalística e as Universidades de Campinas (UNICAMP) e de Brasília (UnB) estimou, pela primeira vez no Brasil, o consumo de cocaína por meio da análise do esgoto. As amostras de esgoto bruto foram coletadas em seis estações de tratamento da Caesb, responsáveis por atender cerca de 70% da população do DF. Os resultados revelaram um consumo de 1080 mg/dia/1000 habitantes.

O estudo, conhecido como epidemiologia do esgoto, oferece um valor numérico relativo ao consumo de uma droga, possibilitando a construção de um mapa de consumo, uma vez que as amostras de esgotos são coletadas em diferentes ETEs que atendem diversas regiões do DF. O estudo revelou, na época, um consumo de cocaína per capita mais elevado nas regiões norte de Brasília e Samambaia, onde a população é atendida pelas ETEs Asa Norte e Samambaia, respectivamente. Os valores foram duas vezes maiores que o consumo de cocaína pela população atendida pelas ETEs Planaltina e Riacho Fundo. Outro dado observado é que o consumo de cocaína no fim de semana é maior do que em outros dias da semana, o que pode indicar um aumento do uso recreativo da droga nesse período.
 

Sub-categorias

Pagina 1 de 2